Greve dos professores da UFU deve acabar esta semana!

Foram muitas perdas para toda a sociedade

De acordo com o Jornal Correio de Uberlândia, a greve dos professores da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) deve ser encerrada no início da próxima semana, quando uma nova assembleia será realizada pelos docentes. O COL (Comitê Local da Greve) vai se reunir na segunda-feira (10) e marcar a assembleia para deliberar sobre o assunto.

Após manifestações de vários professores, o Comitê solicitou a cada unidade estudantil (cada curso da instituição) que se reunisse e decidisse pela continuidade ou não do movimento. A finalização formal só vai acontecer em assembleia.

Por meio da página pessoal em uma rede social, um professor do curso de Economia (Campus Santa Mônica – duas quadras da Toca do Calango) publicou no final da tarde de quinta-feira (6) a seguinte informação: “Acabou a greve na Economia da UFU. As aulas recomeçam no dia 12 de setembro (próxima quarta feira).”

Caso decidam pelo retorno às aulas, os professores encerram o movimento sem terem conseguido comover o Governo Federal a reabrir as negociações, encerradas oficialmente em agosto. A última proposta do Ministério da Educação foi de reajuste de 25% a 40% escalonado até 2015 e a diminuição do número de níveis de carreira de 17 para 13. Entre as principais reivindicações dos professores, no que diz respeito à reestruturação da carreira, está o estabelecimento de carreira única com incorporação das gratificações em 13 níveis remuneratórios e variação em 5% entre níveis a partir de um piso de R$2.329,35 para um regime de 20h.

Já a Agência Brasil informou que a greve dos professores das universidades federais não terminará antes do próximo domingo (9), informação obtida junto ao Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN).

Ontem (6) foi feito o anúncio do resultado de assembleias estaduais realizadas desde a última segunda-feira (3) para decidir sobre a proposta de aumento salarial do governo.

O movimento se enfraqueceu devido inicialmente  ao fato de o prazo para o orçamento federal ter acabado. A presidente Dilma Roussef enviou o projeto de orçamento para 2013 ao Congresso. Veio então o retorno dos técnicos administrativos e depois os docentes ligados ao Sindicato de Professores de Instituições Federais de Ensino Superior (Proifes), que representa parte da categoria, decidiram pelo fim da paralisação na última sexta-feira (31). Eles aceitaram a proposta do governo para reajuste salarial entre 25% e 40%. Na quarta-feira (5), professores das universidades federais do Rio de Janeiro, de Minas Gerais e de Pernambuco decidiram encerrar a greve.

Hoje, a greve dos professores universitários do Andes-SN completa 114 dias. A paralisação começou em 17 de maio e chegou a ter adesão de 56 de 59 instituições, incluindo universidades, centros federais de Educação Tecnológica e institutos federais de Tecnologia.

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), 16 instituições indicaram o fim da paralisação: as universidades federais de Santa Catarina, de São Carlos, de Ciências da Saúde de Porto Alegre, da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira, do Ceará, do Rio Grande do Sul, da Fronteira Sul e a Universidade de Brasília.

Voltaram parcialmente as atividades das universidades do Tocantins, do Pampa e de São Paulo. Está prevista para a próxima semana a retomada das aulas nas universidades de Juiz de Fora, da Grande Dourados, de Alfenas e do Recôncavo Baiano.

Já as aulas no Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM) campus avançado Uberlândia recomeçaram na última segunda-feira (3), após os professores da instituição encerrarem a greve iniciada na primeira quinzena de junho.

TOCA DO CALANGO – suítes e quartos
individuais para alugar em uberlândia
acesse: www.tocadocalango.com.br

Comentários estão desabilitados no momento.